Realidade virtual

Uma caminhada junto a um mar virtual pode reduzir a dor?
E porque o ambiente em que nos inserimos, influencia o nosso bem-estar, considerei curioso este artigo que nos fala do resultado da comunicação entre pessoas com dor e um meio ambiente de natureza, mesmo que virtual.

Os autores relevam a importância do seu estudo, identificando por um lado, o incremento das distrações proporcionadas pela realidade virtual (VR) em contextos de saúde, mas por outro, a falta de investigação sobre a importância dos conteúdos dessa mesma VR.

Assim, realizaram 2 estudos que testaram o como a interação com a natureza em VR, influencia a experiência de dor experimentada e recordada, após uma semana da intervenção dolorosa. No estudo 1, os participantes foram sujeitos a dor simulada, mas no estudo 2, os doentes eram reais. Foram avaliados diferentes ambientes de VR, caminhada ao longo da costa, ambiente urbano e ambiente standard de tratamento (estudo 2) e foram analisados os seus efeitos na perceção da dor dos doentes num ambiente clínico de extração e obturação dentárias.

Alguns pressupostos:
  • Reduzir a experiência de dor e ansiedade pode conduzir a memórias menos traumáticas da experiência de dor e aumentar a probabilidade da visitação regular do dentista para a promoção da saúde oral;
  • As distrações, ajudam os doentes a gerir a dor e outras experiências menos positivas e representam geralmente uma combinação entre relaxamento e imagens prazerosas;
  • Devido a avanços tecnológicos, a VR tem vindo a estar ao serviço da distração dos doentes com dor aguda, ajudando-os na gestão da mesma;
  • Até hoje, não tem havido um estudo sistematizado que explore os conteúdos dos ambientes de VR nos resultados de saúde, nomeadamente, gestão da dor aguda, embora, ambientes de natureza em VR, já tenham demonstrado efeito analgésico;
  • O contacto direto com a natureza proporciona o contexto ideal para a obtenção de efeitos benéficos a nível da redução de ansiedade, stress, melhoria do humor. O contacto com o mar, em particular, intensifica aqueles benefícios.  Havendo restrição no acesso a estes contextos, os mesmos podem ser simulados pela VR e serem estudados os seus resultados na dor, tendo em conta a comparação dos diversos ambientes

Porquê, este estudo?
Explorar as propriedades analgésicas, proporcionadas pelo uso de VR com conteúdos de natureza, em contextos de saúde;
Adicionalmente, são analisadas as memórias da dor experimentada, uma semana após a intervenção dolorosa.

No estudo 1:
Foram criados 3 grupos. Em todos os grupos, os participantes colocavam uma das suas mãos, numa tina de água bem fria (+- 7 ° C), equipada com uma bomba que garantia a circulação, de modo a que a água em redor da mão, não aquecesse com o tempo. A diferença estava no que cada grupo de participantes visualizava enquanto experimentava a dor. Um grupo, tinha os óculos de visualização da VR, mas estes estavam desligados; outro grupo, via passivamente a VR; outro grupo ainda, visualizava a VR de forma ativa, podendo intervir. O conteúdo de VR selecionado, foi o de costa junto ao mar.

No estudo 2:
O estudo é similar ao anterior, 1. Todavia, o estudo 2 envolve doentes da vida real que se voluntariaram. O contexto foi o de saúde dentária. Também foram efetuados 3 grupos. Durante a intervenção do dentista e apesar de ser ministrada analgesia local, um grupo via VR com conteúdo urbano, outro via VR com o conteúdo de costa junto ao mar e o outro grupo não via VR, sendo exposto à abordagem standard.

Sugestão major do estudo:
Os resultados demonstraram que o conteúdo da VR foi essencial para os resultados positivos da gestão da dor: um passeio virtual ao longo da costa, foi mais benéfico na redução da dor experimentada e recordada, uma semana após intervenção dolorosa (no caso do estudo 2, envolvia extração e obturação dentárias). Num mundo em que a tecnologia se desenvolve de forma ágil, este estudo assinala a importância do uso da mesma para a promoção do bem-estar em contextos saúde.

Palavras Chave: Realidade virtual, natureza, dor, saúde, bem estar, caminhadas, mar, efeito analgésico
 
Dijkstra K., Pahl S., White P.M. & Auvray M. (2017) The Soothing Sea: A Virtual Coastal Walk Can Reduce Experienced and Recollected Pain. Environment and Behavior 50 (6): 1 –27.DOI: https://doi.org/10.1177/0013916517710077