Comunicação Centrada na Relação - Do medo à coragem!

Cuidado Centrado na Relação

“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.” (Envangelho segundo João). 

Independentemente da especificidade das crenças religiosas de cada um, é um facto que cada ser humano é dotado de religiosidade…quantas vezes não utilizamos a palavra “entusiasmo” para nos referirmos a alguém que demonstra vida, ânimo? Esta pequena palavra encerra uma partícula divina, “em Deus” …é como se estivéssemos a manifestar, durante o nosso entusiasmo, algo de particularmente poderoso, a alegria, a confiança perante os possíveis desafios e obstáculos! Todos gostamos de sentir entusiasmo!

Com os diálogos genuínos que se concretizam nas relações, a vitalidade dos grupos que cuidam e são cuidados, também acontece. Estes diálogos facilitam a transmutação da emoção medo, muitas vezes associada à paralisação, ataque e fuga, em algo que o medo também pode gerar, a aproximação entre todos os agentes implicados direta ou indiretamente nos cuidados.

Assim, os diálogos podem fazer da emoção medo, a expressão de duas competências fundamentais no ambiente que cuida: a proteção que garante o máximo de segurança e a coragem que nos faz avançar para o risco calculado. É como que, sabendo criar a toca acolhedora, passássemos a conhecer a importância de dela sair, quando necessário, como e com que propósito.

Não há nada mais poderoso num diálogo que as perguntas que o tonificam. Para encontrar a toca e o seu conforto…por exemplo:

- Quais as causas para os sentimentos de medo, stress e eventual ansiedade, no nosso meio? Como é que o nosso ambiente está adaptado a aportar conforto a cada um dos elementos que o integram? Que serviços e | ou ações, já oferecem esse conforto? Existem mais formas simples de proporcionar um ambiente de cuidado mais confortável?

E lá está…”no princípio era o verbo”…das tantas perguntas que se podem definir para o encontro da proteção, outras tantas se podem efetuar para estabelecer a reunião com a coragem. Das respostas que podem ser diversas, será na coragem da implementação e acompanhamento das mesmas que as transmutações advêm. Do medo, à proteção e coragem.