Ser até ao fim, mesmo que não o saibamos, porque os outros, o sabem

As poesias que cuidam®, no Bairro do Cuidado, escreveram na sua primeira etapa, sobre a pessoa com demência e interações.

Impossível ficar indiferente ao dia de hoje sem escrever.

Dia em que se celebra a Paz ou o facto de podermos fazer mais paz. Apela de nós, pois paz, é a antítese de passividade.

Dia, em que uma das demências, lhe dá também o nome e no qual nos podemos consciencializar mais para o tema da demência, seu abraço e também para a sua prevenção. 12 fatores de risco modificáveis representam cerca de 40% das demências mundiais, o que teoricamente, nos impele, mobiliza e energiza, para a adoção de comportamentos mais auto-cuidadosos. Apela de nós, ação.

As poesias, são uma criação e sequência natural daquilo que é parte da minha experiência de vida e na vida, tanto pessoal, como profissional.

Procuram, através de um meio diferente, aquelas que versam a demência, alimentar uma forte esperança em quem cuida de pessoas que envelhecem de forma não idealizada e que no decurso destas suas jornadas, vão perdendo as palavras e outras competências tão facilitadoras do ato de comunicar. 

Despoja dos seus conteúdos, aquilo que as diminui, a condescendência.

Surgem da necessidade de cantar dificuldades de interação que tantos de nós vivem, direta ou indiretamente, fazendo alusão a personagens criadas, acesso aos seus possíveis sentires, pensares e também, a possíveis estratégias de superação de problemas relacionais para a promoção de encontros com significado. Aqueles que dão sentido às vidas, de um lado e do outro da reunião. Aqueles que não se esquecem, mesmo que os esquecimentos aconteçam, porque ficaram gravados nos nossos corpos, em cada um desses momentos. Num abraço. Numa mão. Num olhar. Num escutar, até mesmo, do silêncio que nos fala.

Buscam a esperança de sermos pessoas até ao fim, mesmo que não saibamos quem somos porque os que nos rodeiam sabem. E por isso, continuamos a SER. Ou então...porque simplesmente, vamos sendo, mesmo não sendo o que fomos, SOMOS.

Buscam devolver-nos uma esperança: enquanto existem sentidos, nem que seja um só, a comunicação é possível e pode ser vivida com uma serenidade e paz, onde o afeto que temos a dar e a receber, podem ter um verdadeiro nicho, ninho, domicílio...embora numa linguagem e língua que nos aguçará o aprofundar na riqueza dos símbolos. Pois nunca deixaremos de ser seres simbólicos.

Num percurso de criação de conteúdos em temas diversos das nossas vidas comunicativas, foi no final de 2021 que coloquei as vestes de poesia num destes. Foi o primeiro poema da filosofia,  Bairro do Cuidado, ainda não publicado. Neste dia de hoje, somente na escrita, e porque encerra paz, demência e pessoas, partilho-o: 

Comunicação com a pessoa com demência
Comunicar nem sempre é fácil
Mais desafiante ainda, perante a diferença
Sendo cada um de nós, tão diverso
Damo-nos conta quando ela aparenta
 
Por isto faz sentido abordar
E com alguma pertinência
O como nos relacionamos
Com alguém que vive com demência
 
Duas realidades dispares
Procuram interagir
E as pontes são necessárias
Para a relação construir
 
Quando o outro falha nas suas palavras
Encontramos uma medida de progressão
Mas ir para além dos verbos
Possibilita descobrir a emoção
 
Tentamos que o outro nos acompanhe
Na nossa realidade e experiência
Quando será bem mais simples
Aprender sobre a sua vivência
 
Para tal será necessário
Não fazer raciocinar, contra-argumentar e corrigir
Saindo do papel de ensinar
Entrando, no de nos instruir
 
Uma outra luz que iluminamos
É a das perdas, ausências e dificuldades
São de facto importantes
Mas onde estão as potencialidades?
 
Ainda…no ambiente em redor…
E face à perda percetual
Descobrir o que não sobrecarrega
Torna-se fundamental
 
Embora com o cuidado
De não o empobrecer tanto
Com o risco de catapultar
Para a ausência de qualquer encanto
 
Partilhar e celebrar sucessos
Faz parte da interação
Enriquece a vida da díade
E melhora a relação
E porque o amor 
É também uma competência
Pedir ajuda aos que ajudam
Faz parte do cuidar, na sua essência
 
Foram só alguns princípios
Aqueles aqui listados
Pretendem ser somente um leve guia
Para caminhos facilitados
 
...

Poderá gostar de aceder aos artigos: