Dilemas provavelmente vividos pelos Cuidadores Formais – entre o bem e o bem!

Todos os dias e por longos anos, Cuidadores Profissionais prestam serviços junto da pessoas mais velhas que vivem em dependência.

Embora exerçam em ambientes estruturados pela definição de atividades chave a concretizar com cada um dos seus Clientes, seja no domicílio ou em instituições, há dilemas entre bem e o bem que podem não ser fáceis de gerir. Expomos uma abreviação. Expomos unicamente 4:

1. No pouco tempo que tenho, vou dar mais atenção ao Sr. Falcão que está mais dependente (bem), OU conversar com a Sra. Dona Hortense que por estar mais independente, não costumo interagir tanto com ela (bem)?
2. Deverei dar o tempo necessário para que o Sr. Mariano realize uma atividade por ele próprio com a minha observação e portanto, estimulando a manutenção dessa competência (bem), OU deverei agilizar a minha intervenção junto do Sr. Mariano, para poder responder à chamada de outros Clientes (bem)?
3. Numa interação menos positiva com Colega, deverei dizer-lhe o que senti de modo a poder evitar situação semelhante no futuro (bem), OU devo deixar passar pois compreendo que terá sido um mau dia para ela/ele (bem)?
4. Devo conhecer e desenvolver afeto pelos Clientes e assim tornar mais significativa a minha profissão (bem), OU devo manter algum distanciamento para não sofrer tanto com possíveis perdas (bem)?

…Enfim, muitos mais dilemas entre o bem e o bem, habitam quem cuida profissionalmente.

Mensagem chave: Dar a atenção e tempos necessários para lidar com estas questões, facilita o sentimento de bem-estar do Cuidador Formal e por consequência, o bem-estar dos seus Clientes!

Os nomes referidos nesta peça, são inventados.
Se estiver interessado em saber mais sobre a 1ª app que ajuda quem cuida formal ou informalmente, nos desafios de comunicação que emergem das interações de cuidado , visite HumaniCare!