Quem cuida e os dilemas entre bem e o bem - contexto empresarial

Nas nossas empresas, exercem colaboradores e colaboradoras que são exatamente isso: pessoas que colaboram. Como pessoas, desempenham vários papéis para além do profissional e poderão, em determinadas fases das suas vidas, expressar algum dos seguintes dilemas entre o bem e o bem:

- Deverei optar pela carreira internacional e realizar um sonho profissional (bem), ou deverei permanecer na função que já exerço e que me permite realizar a educação dos meus filhos com mais tempo e liberdade (bem)?


- Deverei aspirar a algo mais na minha empresa, o que me fará investir mais tempo, mas eu gostaria muito (bem), ou deverei utilizar esse tempo para acompanhar pessoalmente os cuidados ao meu pai que precisa (bem)?


- Deverei dizer não a uma promoção porque no momento isso incompatibilizaria algum do meu equilíbrio profissional-familiar (bem), ou dizer sim a esta promoção e apreciar o reconhecimento pelo meu desempenho e potencial (bem)?


- “Terceirizo” o cuidado aos meus pais que precisam, proporcionando-lhes o apoio 24 sobre 24 horas (bem), ou dedico todos os dias um bom tempo para o fazer como filha/filho, embora tenha de largar o trabalho mais cedo que o habitual (bem)?


…enfim, poderíamos listar um conjunto muito mais alargado de dilemas entre bem e bem.

A importância de os acarinhar é corpulenta pois ao não serem tratados com o devido valor, podem conduzir ao mundo da culpa, uma emoção silenciosa, nem sempre de fácil identificação, pouco ativa, mas com impactos visíveis e nem sempre os mais agradáveis e desejáveis.

Mensagem chave: dar a atenção e tempos significativos para lidar com as questões que mais significado têm nas nossas vidas que almejamos com sentido!

 

Se estiver interessado em saber mais sobre a 1ª app que ajuda quem cuida formal ou informalmente, nos desafios de comunicação que emergem das interações de cuidado , visite HumaniCare!