Há 6 anos na comunicação humanizada ao cuidador

Tendo sido responsável pela Gestão de Recursos Humanos, valência de desenvolvimento de pessoas e talentos, no âmbito de multinacional ligada ao setor da saúde, Leonor Cerqueira, é responsável pela marca registada Métis – Comunicação Humanizada em Gerontologia e as suas funções incluem, para além da consultoria em desenvolvimento de indivíduos, equipas e organizações, a conceção, gestão e implementação de programas que versam a comunicação humanizada, apostando no poder da linguagem, da palavra e do gesto.

Alguns programas, como “Os 7 pecados e 7 virtudes da comunicação em Gerontologia”, “Quando a relação se torna uma ralação” e “Ferramentas de comunicação humanizada com o idoso em contexto de vulnerabilidade – conversas difíceis”, "As conversas que cuidam dos profissionais e das organizações de cuidado" (projeto de cultura organizacional centrado nas relações), são alguns exemplos de iniciativas com o enfoque no cuidador que muitas vezes vive o dilema – "Para cuidar de mim, não cuido do outro, para cuidar do outro, não cuido de mim”.

Autora de sugestão, então aprovada pela ANQEP, visando uma UFCD nova e complementar, com o nome de: “Ferramentas de Comunicação Humanizada com o idoso em situação de vulnerabilidade – conversas difíceis”, cuja referência para eventual consulta é 9857.

Licenciada em Gestão de Recursos Humanos pela Universidade Lusíada de Lisboa e com a frequência do 3º ano de Biologia da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, possui ainda, formação avançada em Liderança e Gestão pela Nova School of Business and Economics, Pós graduação em Psicologia das Emoções pelo ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa e Psicogerontologia pela Universidade Católica Portuguesa. É doutoranda em neurociências - Ciências da Linguagem e Cognição nesta mesma instituição de ensino. Possui também certificação internacional em Programação Neurolinguística (I.A.N.L.P.- The International Association for NLP), Coaching individual e de equipas (I.C.C. – International Coaching Community), metodologias de relaxamento (LCCH – London College of Clinical Hypnosis). Ainda…é fã de teatro, inspirando-se em muitas aprendizagens vividas no Instituto de Artes e Espetáculo e no tão relevante Teatro Terapêutico,  do antigo Hospital Júlio de Matos que lhe permitiu conhecer gente  gigantemente criativa!

Voluntaria na Associação Coração Amarelo, fazendo parte do corpo diretivo e também nas ações de proximidade junto dos idosos em solidão e/ou isolamento.

Com o propósito de investigação, viajou (e viaja) para locais onde a velhice, mesmo com perdas profundas, pode ser sinónimo de felicidade ("Hogeweyk", living in lifestyles, conceito de acolhimento e vida a pessoas com Alzheimer, na Holanda). Trabalhou como coach gerontológico num lar de idosos apoiando a gestão e a utilização da comunicação humanizada juntamente com equipa multidisciplinar, bem como, acompanhou e acompanha idosos mais isolados e com dependência.